O catolicismo apostólico romano é atualmente a maior religião do Brasil, ativa no país desde o período pré-colonial, quando foi introduzida por missionários que acompanhavam os colonizadores portugueses. A Igreja Católica exerce grande influência nos aspectos político, social e cultural dos brasileiros.

O catolicismo tem sido a principal religião do Brasil desde o século XVI. Ela foi introduzida por missionários que acompanharam os exploradores e colonizadores portugueses nas terras do país recém-descoberto. O Brasil é considerado o maior país do mundo em número de católicos nominais, os católicos passaram de 73,6% em 2000 para 64,6% em 2010. Porém, sua hegemonia deve ser relativizada devido ao grande sincretismo religioso existente no país Entre as tradições populares do catolicismo no Brasil estão as peregrinações à Igreja de Nossa Senhora Aparecida. Nossa Senhora Aparecida acabou por tornar-se a Padroeira do Brasil. Outras festas católicas importantes são o Círio de Nazaré, Festa do Divino e a Festa do Divino Pai Eterno, mais conhecida como Romaria de Trindade, em Goiás. No transcorrer do século XX, foi diminui o interesse pelas formas tradicionais de religiosidade no país. Um reflexo disso é o grande número de pessoas que se intitulam católicos não-praticantes.

As principais lideranças da Igreja Católica no Brasil são os bispos e arcebispos do país, dentro dos quais se destacam: o núncio apostólico Dom Lorenzo Baldisseri, o presidente da CNBB e cardeal, Dom Raymundo Damasceno Assis, os demais cardeais brasileiros: Dom Eugênio de Araújo Sales, Dom José Freire Falcão, Dom Serafim Fernandes de Araújo, Dom Frei Cláudio Hummes(O.F.M.), Dom Geraldo Majella Agnelo, Dom Eusébio Oscar Sheid (S.C.J.) e Dom Odilo Pedro Scherer, além do primaz do Brasil,Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger (S.C.J.).