Muitas vezes em aula, quando criança, ouvia vozes dos espíritos ou sentia mãos sobre as minhas mãos que eu senti vivas, guiando meus movimentos de escrita, sem que os outros as vissem. Isso me criava muitos constrangimentos.

Chico Xavier falando sobre a descoberta de seu dom

Mensagem de Robério de Ogum

Na revista Isto É na data da morte de Chico Xavier No programa Falando Francamente com Sonia Abrão

Um Homem Chamado AMOR
 Hoje o espírito tirou a roupa dos mortais, a carcaça humana.
 Se fez leve como a pluma, subiu em direção aos céus.
 E o céu em gratidão a ele o aguardava em festa.
 E na terra muitos que em você se espelharam, se desesperavam.
 E você viajava a viagem dos eternos, nada levava na sua bagagem.
 Na terra clamavam por Emano, a voz do espírito se calou.
 No respeito do selênio no sentimento da perda, no corpo frio e calado.
 Era o fim de um karma que unia o céu e a terra, numa forma simples.
 A caneta o papel a mão a incorporação, ambos desvendavam os mistérios da morte.
 Descobriram coisas incríveis Que DEUS preparava um novo dia enquanto o homem dormia.
 A quem pertence este corpo a terra ou aos espíritos.
 Quem escreveu 482 livros a mão do homem, ou a do espírito.
 Quem inspirou quem o homem o espírito, ou o espírito o homem.
 Quem serviu quem a mão do homem que escreveu ou a do espírito que a conduziu.
 Quem foi quem?
 Emano o mensageiro dos céus!
 Chico Xavier um homem chamado amor, dominado, criado, guiado.
 Pelos espíritos mensageiros de DEUS.

 Escrita por Roberio de Ogum 02/07/2002 às 2:00 horas

 Homenagem a quem ao seu ver, significa para humanidade um homem chamado amor seu ídolo imortal 
 (o maior médium do mundo).